quinta-feira, 22 de maio de 2014

Poesia - Imundo


O vento lá fora sopra,
A chuva lá fora lava,
O mundo lá fora segue,
E a mente lá fora, mente.

E quem está dentro, descontente
Foge do vento, da chuva, do mundo,
E preza a mente.

E os adorabundos,
Que estão sempre a adorar o mundo
Do jeito que ele está,
Parecem não perceber
O quanto temos para mudar.

Quem está dentro
Parece estar descobrindo
Que apertando sempre
E não abrindo
Cercamos o centro,
Sem deixar furo.

Os cabeças, que estão fora,
Tentam á toda hora
Convencer o mundo
De que é oriundo
De um país com governo limpo.

Quem esta dentro sabe
Que toda faca tem dois gumes
E que um dia,
Rezam para que não seja tarde,
O mundo vai perceber
Que o governo é na verdade imundo.